quarta-feira, 6 de julho de 2011

Curso de formação de instrutores de Libras (SURDOS)

OBJETIVO: Formar Instrutores Surdos para atuar no ensino de LIBRAS como L2 para ouvintes

PÚBLICO ALVO: Surdos fluentes em Libras (formação mínima exigida - Ensino Médio)

PERÍODO: 1º e 2º semestre de 2011

HORÁRIO: 5as e 6as das 19h às 22 h

INVESTIMENTO: Entrevista: R$ 30,00, caso seja aprovado
Compra da Apostila de Libras em contexto para professores (R$ 100,00)

O curso será oferecido em quatro disciplinas + estágio:
Disciplina 1 - Metodologia para Ensino de LIBRAS (24 h) - Professora Neiva de Aquino Albres
Disciplina 2 - Leitura e compreensão dos textos (24 h) - Professora Neiva de Aquino Albres
Disciplina 3 - Lingüística Aplicada ao Ensino de LIBRAS (24 h) - Professor Andre Xavier
Disciplina 4 - Prática de Ensino de LIBRAS (48 h) - Professora Sylvia Lia Grespan Neves

Estágio supervisionado (60 h) - Professora Sylvia Lia Grespan Neves

FONTE:
http://www.feneissp.org.br/index.php?ps=cursos&rqv=l2

informações:
cursofeneis.sp@feneis.org.br.


quarta-feira, 28 de abril de 2010

Cultura surda


Olá, Pessoal.

Vejam a dica de um site com materiais sobre surdos e cultura surda.

O professor de libras pode usar as imagens para introdução de temas culturais na aula ou para o momento de aquecimento da aula.

Espero que gostem,

Fonte:
http://pagesperso-orange.fr/laurent.verlaine/

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Concurso para professor de Libras IFET- SP


O INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
DE SÃO PAULO – IFSP, ..., torna público que estão abertas, sob a organização da Fundação de Apoio à Tecnologia - FAT, de 05 de abril a 20 de abril de 2010.
Prorrogado para até 27 de abril de 2010.
1 vaga para professor de Libras.
Critério:
Professor de Libras, com formação no ensino superior em qualquer área, ou usuário desta língua com curso de pós graduação. Para todas as formações será exigido certificado de proficiência em libras, obtido por meio de exame promovido pelo Ministério da Educação (Decreto nº 5626 de 22 de dezembro de 2005).

Concurso para professor de Libras UFSC



EDITAL Nº 020/DDPP/2010 - CONCURSO PÚBLICO
Centro: CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO - CCE
Departamento de Ensino: COORDENADORIA ESPECIAL DE ARTES - CEA

Area de Conhecimento: Ensino/Aprendizagem de Libras

Classe ASSISTENTE 1 DE
Regime de Trabalho: Dedicação Exclusiva
Número de Vagas: 1
Requisitos Específicos:
Título de Mestre na área de Lingüística Aplicada, ou nas áreas afins de Educação, Letras, ou Linguística.

Período de Inscrição: 20/04/2010 até 10/05/2010 às 20:00 horas

2.3 - Classe Assistente 1 - Regime de trabalho em Dedicação Exclusiva/DE:
Vencimento Básico: R$ 2.001,86
Retribuição por Titulação: R$ 1.406,62
Gratificação Específica do Magistério Superior/GEMAS: R$ 1.034,12
Auxílio - Alimentação: R$ 304,00
Total: R$ 4.569,00.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Fotos do lançamento do Livro "Surdos e inclusão educacional".



Fotos do evento REATECH dia 17 de abril de 2010
Editora Arara Azul - Stand da FENEIS.

Autora Neiva de Aquino Albres


Autógrafos

Moryse Vanessa Saruta - Diretora Regional FENEIS São Paulo - SP


Eduardo Sabanovaite - FENEIS. Presentinho para mim. Obrigado!


Neivaldo Augusto Zovico - Coordenador Nacional de Acessibilidade para surdos FENEIS


Shirley Vilhalva - diretora Administrativa FENEIS

Professora do curso Letras Libras e uma grande amiga.

Agradeço a todos pelo carinho e por terem prestigiado o lançamento do Livro.

domingo, 18 de abril de 2010

Publicação de Livro



Olá, pessoal.


Aconteceu na Reatech (Feira de Reabilitação) no dia 17 de abril de 2010 em São Paulo o lançamento do livro “Surdos e inclusão educacional” de minha autoria pela Editora Arara Azul.


Tem um capítulo especial para você que é professor de Libras, principalmente para quem trabalha com Educação Infantil e ensino de Libras como L1.


O papel do instrutor ou professor de Libras SURDO é destacado na interlocução para o processo de aquisição de linguagem da criança surda.


Veja, por exemplo, o que tem no livro:


Atividades pedagógicas planejadas especificamente para crianças surdas

São práticas aplicadas em situações concretas de escolarização e reelaboradas a partir de uma reflexão teórico-prática, orientadas para necessidades das crianças surdas, como:

1) Calendário (atividade)
2) Chamada (atividade)
3) Relato de experiências (atividade)
4) Lendo histórias infantis (atividade)
5) Inventando histórias (atividade)
6) Adivinhação com objetos (jogo)
7) Já sei! (jogo)
8) Sombras de personagens (atividade)
9) Teatro de sombras (atividade)
10) Como fazem os animais? (jogo)
11) Brincadeiras de roda (brincadeira)
12) Amarelinha (brincadeira)
13) Desenho em grupo (atividade)
14) Que gosto tem? (jogo)
15) Saco surpresa (jogo)
E muito mais...


Ele já está disponível para compra no site da Editora Arara Azul.

http://www.editora-arara-azul.com.br/Catalogo.php


Espero que este material contribua com o trabalho dos professores que lutam por uma educação de qualidade para os alunos surdos.


Um forte abraço,


Neiva de Aquino Albres

video

quarta-feira, 7 de abril de 2010

CICLO APP vs AULA BASEADA EM TAREFA2


No que se refere ao modelo de aula APP Silvestre (2009)considera eficiente para os níveis iniciais, pois, nesta fase, os alunos ainda possuem um conhecimento muito restrito da língua-alvo. Sendo assim, a apresentação de formas e funções da língua antes da realização de tarefas mostra-se benéfica. No entanto, Vera propõe que o último estágio deste modelo – produção livre – ocupe maior tempo da aula.

Em relação ao modelo de aula baseada em tarefas, não concorda com sua aplicação em turmas iniciantes. No entanto, pode observar que esse modelo foi visto como uma alternativa salutar para os demais níveis. Mesmo no modelo de aula baseada em tarefas, o trabalho com foco na fluência e na precisão gramatical é imprescindível.



Fonte: Viviane Pires Viana Silvestre.Teorias pessoais de duas professoras de inglês em formação universitária e de uma professora-formadora: foco em dois
modelos comunicativos de aula

CICLO APP vs AULA BASEADA EM TAREFA


Quadro comparativo: aula organizada com seqüência APP e aula planejada baseada em tarefas.

Planejamentos baseados em tarefas resolvem outro problema geral do ensino de línguas, o de oferecer um contexto para o ensino da forma. Os procedimentos da seqüência APP e dos planejamentos baseados em tarefas são diferentes aqui também:

�� No ciclo do APP, iniciado pela apresentação da língua-alvo, este contexto tem de ser inventado. Na estrutura dos planejamentos baseados em tarefas, o contexto já é
estabelecido pela própria tarefa.

�� Os planejamentos baseados em tarefas oferecem uma exposição mais rica. Os alunos percebem, assim, que há mais na linguagem do que apenas tempos verbais e novas palavras.

�� O APP conduz o aprendiz da acuidade ou precisão formal à fluência, enquanto os
planejamentos baseados em tarefas conduzem da fluência para a acuidade.

�� Nos planejamentos baseados em tarefas as quatro habilidades são naturalmente
integradas oferecendo, assim, aos alunos uma experiência holística com a linguagem.

O planejamento de aulas no APP tipicamente estabelece um conjunto de objetivos
limitadamente pré-determinados pelo professor. Uma aula organizada com tarefas oferece uma estrutura mais flexível, permitindo aos alunos se moverem da experiência com a linguagem para a análise lingüística.

Fonte:
BARBIRATO, Rita de Cássia. Tarefas geradoras de insumo e qualidade interativa na construção do processo de aprender LE em contexto inicial adverso / Campinas, SP : [s.n.], 2005.
Ensino de Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS. Farfalla is designed by Graziano Muscas | Ported to Blogger by Template-Godown